Skip to end of metadata
Go to start of metadata

Índice de conteúdos


Linhas de Orientação para a Colocação de uma Cache

2.a Gerais

Antes de colocar e submeter toda e qualquer geocache, por favor leia as seguintes regras para que a sua geocache possa ser publicada prontamente. Este artigo, escrito em inglês, contém várias dicas sobre como preparar a sua geocache.

2.b Específicas para Portugal

A especificidade local, de cada território, implica a criação de normas locais que compatibilizem o geocaching com o meio envolvente. Estas normais locais estão descritas no ponto 3. desta página e nascem da colaboração entre geocachers, equipa de revisão e autoridades locais e nacionais.


2.c Eventos

As Linhas de Orientação definem que os "Eventos com vários elementos, uma sequência de eventos, ou eventos com horas e locais aproximados e que tenham o mesmo público alvo devem ser submetidos como um único evento." Isto é o que é normalmente chamado de Stacking.

 De forma a evitar situações de stacking foi criado um compromisso para publicação de eventos em Portugal.

 Tendo em conta as suas localizações e hora de início/fim, só poderão ser publicados eventos:

    • num raio de até 10km de outro evento com intervalo de 10 horas

    • num raio entre 10 e 20km de outro evento com intervalo de 6 horas

    • num raio entre 20 e 30km de outro evento com intervalo de 3 horas 

    • a mais de 30km de outro evento

Este conjunto de regras são indicativas, ficando ao critério da equipa de revisão a verificação de outras condições durante o processo de revisão para que o evento possa ser publicado 

Não existem precedentes para a publicação de eventos.

 

Outras informações importantes relativamente a Eventos e Mega-Eventos:

 




Portugal Reviewers

btreviewer  SerafimSaudade  MightyREV Bitaro Shubaca 

EarthCache Reviewer: GeoAwareIB

Sempre que contactar um revisor, e de forma a possibilitar a resposta do mesmo, seleccione a opção "Eu quero enviar o meu endereço de e-mail juntamente com esta mensagem".

Para evitar duplicação de mensagens, pode optar por enviar apenas uma mensagem para o endereço de email revisorespt<AT>gmail.com, que a mesma chegará a toda a equipa de revisão.

About This Guide

The local laws and guidelines for geocaching placement vary from place to place. As community reviewers learn geocache placement policies for a certain location, they can add it here. This site may not be a complete or accurate list of land policies. These policies are made by the land owner or manager, they are neither the reviewer’s nor Geocaching HQ’s. This guide is just for reference, if no policies for the area you’re looking for are listed, that doesn't mean no policies exist. You must still obtain permission to place your geocache from the landowner or land manager,comply with all applicable laws, and follow the Geocaching Listing Requirements.

If you have an update, email the community reviewer(s) listed.

 

This work is licensed under a  Creative Commons Attribution-NonCommercial-NoDerivatives 4.0 International License.

 If you contribute to this wiki, you agree to provide permission to others under this license.

If you share information from this site, you must mention "These regional land policies came from the Geocaching.com Public Wiki and are licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial-No-Derivatives 4.0 International License."

 And, you agree to keep content current by checking back regularly for updates.


 

 

Áreas condicionadas para a colocação/procura de geocaches

3.a Parque Nacional da Peneda-Gerês

Desde Março de 2012 que existem áreas bem delimitadas (denominadas à data de Zonas de Protecção Total - ZPT) no Parque Nacional da Peneda-Gerês (PNPG) às quais é vedado o acesso não autorizado e, por conseguinte, a prática do Geocaching. A legislação sobre estas áreas parece ter vindo a ser cada mais exercida pelas entidades competentes, nomeadamente pela GNR - GIPS. As caches existentes nestas áreas foram arquivadas e não é possível (nem é previsível que volte a ser possível) a criação de novas caches. Os recursos online disponíveis à data desta decisão foram, com a alteração do organismo regulador para o Instituto da Conservação da Natureza e Florestas (ICNF), temporariamente indisponibilizados. A equipa de revisão está em contacto com o ICNF de forma a poder documentar e comunicar da melhor forma as áreas delimitadas e sujeitas a esta limitação. Como auxiliar e sem qualquer garantia dos dados serem 100% fiáveis, criámos um mapa destas zonas em formato .kmz para abrirem no Google Earth (disponível em: http://db.tt/bUpDhH3g).  

3.b Parque Natural da Arrábida

Desde Dezembro de 2011 que existem áreas bem delimitadas (denominadas à data de Zonas de Protecção Total - ZPT) no Parque Natural da Arrábida às quais é vedado o acesso não autorizado e, por conseguinte, a prática do Geocaching. A legislação sobre estas áreas parece ter vindo a ser cada mais exercida pelas entidades competentes, nomeadamente pela GNR - GIPS. As caches existentes nestas áreas foram arquivadas e não é possível (nem é previsível que volte a ser possível) a criação de novas caches. Os recursos online disponíveis à data desta decisão foram, com a alteração do organismo regulador para o Instituto da Conservação da Natureza e Florestas (ICNF), temporariamente indisponibilizados. A equipa de revisão está em contacto com o ICNF de forma a poder documentar e comunicar da melhor forma as áreas delimitadas e sujeitas a esta limitação. Como auxiliar e sem qualquer garantia dos dados serem 100% fiáveis, criámos um mapa destas zonas em formato .kmz para abrirem no Google Earth (disponível em: http://db.tt/xwjq6UtF). 

3.c Parque Natural da Terceira

 O Parque Natural da Terceira, criado em 2011 pelo Decreto Legislativo Regional n.º 11/2011/A, de 20 de abril, é constituído por áreas com características bastantes diversificadas, de valores naturais e culturais e elevados índices de biodiversidade e geodiversidade. É missão do Parque Natural da Terceira a gestão coerente e integrada de conservação da natureza, paisagens e recursos naturais presentes no seu território.

Foram definidas 20 áreas terrestres e marinhas, com particulares aptidões para a conservação da natureza, da paisagem e dos recursos naturais, que representam 22% da área terrestre da ilha Terceira. De acordo com as suas especificidades cada área foi integrada numa das categorias definidas de acordo com os critérios descritos pela União Internacional para a Conservação da Natureza – IUCN.

Para evitar situações em que as geocaches são colocadas em zonas sensíveis de áreas protegidas, cujo acesso é interdito ou condicionado, e podem nalguns casos até constituir perigo para os participantes incentivados a localizar esses objetos, deverá ser remetido à Direção do Parque Natural um pedido de verificação prévia com os seguintes dados:

    - nome e contacto do responsável pela geocache;

    - localização pretendida;

    - indicações sobre o acesso, o sítio, a forma de colocação e dimensão da geocache.

Os contactos para mais informações relativamente a esta área reservada podem ser obtidos na página de perfil do Parque Natural da Ilha Terceira

Mais informação sobre o Parque Natural da Ilha Terceira no site do Governo dos Açores: Parque Natural da Terceira.

3.d Paisagens Protegidas Locais da “Rocha da Pena” e da “Fonte Benémola”

As Paisagens Protegidas Locais da “Rocha da Pena” e da “Fonte da Benémola” foram regulamentadas pelo Aviso n.º 20717 /2010, de 18 de outubro. A gestão destas duas  Paisagens Protegidas  é assegurada pela Câmara Municipal de Loulé - pela Comissão Diretiva das Paisagens Protegidas Locais da Rocha da Pena e da Fonte da Benémola. Na sequência deste documento, ficou definido que todas e quaisquer geocaches colocadas nesta área devem ser previamente submetidas à apreciação e autorizadas pelo referido organismo..

Mais informação: http://www.cm-loule.pt/menu/167/areas-protegidas.aspx

3.e Mata do Buçaco

A Mata do Buçaco é gerida pela “Fundação Mata do Buçaco” (FMB), que comunicou o interesse de regulamentar a práctica de actividades como o geocaching no seu perímetro. O documento que rege as condições de utilização destas áreas foi sujeito a uma consulta pública e a equipa de revisão está, desde Fevereiro de 2013, em contacto com a FMB de forma a determinar um modelo de gestão que compatibilize os interesses de todos os envolvidos. Até este documento ser publicado na sua forma final, está vedada a criação de novas geocaches na Mata do Buçaco.

3.f Estações da CP

As estações de comboio, pelo seu carácter único e histórico, são locais apetecíveis para a colocação de geocaches. Em Portugal, as estações e apeadeiros são propriedade da REFER. Por se tratarem de locais sensíveis, por vezes com corpos de segurança activos, a colocação de uma geocache nos seus recintos necessita de uma autorização expressa da REFER. O pedido pode ser realizado através deste formulário.

3.g Túneis ferroviários abandonados

O aparente estado de abandono do ramal ferroviário da Lousã, que ligava esta localidade a Miranda do Corvo e Coimbra, tem permitido que se circule na linha desactivada e respetivos túneis, pese embora sinalização que contraria a permissão para tal, em vários locais. É o caso dos túneis e viadutos ferroviários ainda em obra, que apesar do aparente abandono, continuam sobre a responsabilidade da empresa Metro Mondego. Assim, para poder garantir a permanência de caches naquelas estruturas, e levar lá geocachers, é necessário haver autorização expressa da Metro Mondego. Os contactos da entidade referida podem ser encontrados aqui.

3.h Zonas de Protecção Especial (ZPE)

A entrada nas seguintes Zonas de Protecção Especial (ZPE) está sujeita a parecer favorável do ICNF (Instituto de Conservação da Natureza e Florestas) previsto no nº 2 do Art. 5º do Dec.-Lei 384-B/99:

dos Estuários dos Rios Minho e Coura,
da Serra do Gerês,
das Serras de Montesinho e Nogueira,
da Ria de Aveiro,
do Paul de Arzila,
do Paul de Madriz,
da Serra da Malcata,
do Paul do Boquilobo,
das Ilhas Berlengas,
do Estuário do Sado,
do Açude da Murta,
da Lagoa de Santo André,
da Lagoa da Sancha,
da Costa Sudoeste,
do Leixão da Gaivota,
da Ria Formosa,
dos Sapais de Castro Marim,
dos Rios Sabor e Maçãs,
do Douro Internacional e Vale do Rio Águeda,
do Vale do Côa,
do Paul do Taipal,
do Tejo Internacional, Erges e Ponsul.
do Campo Maior,
de Moura/Mourão/Barrancos,
de Castro Verde,
do Vale do Guadiana,
da Lagoa Pequena, e
do Cabo Espichel.

3.i Instalações Militares Abandonadas

Por não nos ser possível saber se determinada instalação militar já foi ou não desafectada da sua função militar, qualquer cache colocada no interior de uma instalação militar, ainda que esta aparente um estado de abandono, só pode ser publicada com autorização expressa da entidade a que diz respeito, seja Exército, Marinha ou Força Aérea.

Cada uma destas entidades tem gabinetes de apoio que certamente darão uma resposta clara em tempo útil.

3.j Vias de Circulação Principais

Dizem as linhas de orientação que "a geocache é problemática devido à sua proximidade () de vias de circulação principal". Por vias de circulação principal entendem-se autoestradas, vias de acesso às mesmas, vias-rápidas e outros tipos de vias rodoviárias onde o acesso pedonal é condicionado por lei..

 

3.k Rotundas

 

Uma Rotunda é num local pouco recomendável para a colocação de uma geocache por uma ou várias destas razões:

 - É um local perigoso devido ao trânsito e às diversas entradas e saídas consecutivas que a rotunda possui.

 - É um local onde pessoas a atravessar podem constituir embaraços sérios ao trânsito, para não falar no risco que apresenta para a sua vida.

 - Trata-se de um espaço que não é destinado a peões pois não possui claramente qualquer tipo de passeio nem acesso por via de passadeira, salvo raras exepções.

 - Geocachers no meio da rotunda podem causar potencial distracção para os condutores e originar situações perigosas à circulação viária.

 Sem permissão da entidade gestora do espaço não será possível publicar uma geocache naquele local uma vez que, pelo código da estrada, não é permitida a circulação de peões no local.

 Considere colocar a cache num local onde esta não cause problemas e não ponha a segurança das pessoas em causa, por exemplo num ilhéu direcional servido por passadeiras ou numa berma onde as pessoas possam procurar a geocache sem colocar a vida em risco.

 

3.l Estabelecimentos de Ensino 

Tal como indicado nas Linhas de Orientação gerais do Geocaching.com, caches colocadas demasiado perto de estabelecimentos de ensino não são publicadas. Por estabelecimentos de ensino são abrangidos os parques infantis, jardins de infância, escolas e outros.

A procura da cache nestas áreas pode ser confundida com outras atividades suspeitas e causar problemas desnecessários, e é um impacto que queremos todos minimizar.

 


 

Outros esconderijos inadequados

4.a Muros

Uma cache escondida num muro/parede de pedras é sempre uma má ideia. Sim, um muro/parede de pedras costuma ter muitos sítios óptimos para esconder uma cache. No entanto, as constantes buscas por dezenas geocachers vão acabar por provocar danos na estrutura. Mesmo aquelas pedras que parecem sólidas acabam por ser remexidas. Apesar do owner colocar dicas, informações complementares ou até mesmo fotografias, haverá sempre alguém que com menos cuidado, que contribuirá para a infeliz destruição do muro, em particular se este for de pedras. Temos que ter em conta que muitos utilizam GPS pouco precisos e que estarão a cerca de 5/10 metros do ponto zero e é aí que começam as buscas, para além dos factores naturais que poderão contribuir para uma menor exactidão na altura.

Por outro lado, coordenadas obtidas junto a paredes/muros não são exactas, dado que, muitas vezes, a recepção é feita em condições de recepção indirecta por parte do GPS.

São locais onde é mais visível a pegada negativa que o geocaching pode deixar no meio envolvente. Procure outro local para esconder a sua cache, a 5, 10, 15 metros de distância e continuará, ainda assim, a partilhar o local e a minimizar por completo o risco de um impacto negativo.

4.b Palmeiras

É de evitar que geocaches sejam escondidas em palmeiras, uma vez que durante a procura, mesmo com o uso de fotos spoiler ou dicas bastante claras, existe sempre alguém com menos cuidado que acabará por causar impacto negativo nestes seres vivos. Para além disso, nem todos os geocachers praticam geocaching com esta informação consigo e nem todos terão o cuidado de deixar o local tal como o encontraram.

4.c Equipamento Eléctrico

A utilização de equipamento elétrico como uma geocache precisa de ser acompanhada de bom senso. Sem a identificação clara de que esse equipamento está a ser usado como uma geocache, esta poderá não ser publicada. A identificação com um autocolante, com a indicação do GC Code da cache, com até uma inscrição em jeito de brincadeira, algo com "Geocaching , instalações electricas, Lda" só é relevante para um geocacher. Para alguém fora do geocaching, é uma designação que continua a não chamar a atenção. Passará despercebida e não motivará futuras buscas em equipamento activo que não está a ser utilizado como uma cache.

4.d Equipamento de Rega

É de evitar que geocaches sejam escondidas em equipamentos de rega, ou disfarçados de equipamentos de rega, uma vez que a sua manipulação pode vir a degradar estes sistemas, para além do facto de passarem a ideia que estes dispositivos são bons sítios para esconder geocaches.

O resultado prático de uma cache assim é que qualquer outro equipamento de rega, noutro local, poderá ser visto como um potencial esconderijo para uma cache, potenciando a sua danificação.

Este impacto negativo é algo que procuramos minimizar.
Mesmo com o uso de fotos spoiler ou dicas bastante claras existirá sempre alguém com menos cuidado que acabará por causar impacto negativo nestes sistemas. Para além disso, nem todos os geocachers praticam geocaching com esta informação consigo e nem todos terão o cuidado de deixar o local tal como o encontraram.